"FALEMOS"

http://pt.scribd.com/doc/75264095/FALEMOS



. o livro do meu querido amigo _______José MARINHO



"Falemos"

"Abraço" de José Luís Peixoto



Texto incluído em "Abraço"

A MÃO QUE ME FEZ


Uma tanganhada. Muitas vezes vi o meu pai estender a mão direita para crianças, até para mim quando era pequeno, e dizer: dá cá uma tanganhada. Havia um compasso em que as crianças se surpreendiam em silêncio, ficavam a olhar e, depois, devagar, estendiam-lhe também a mão.

Eu tinha três ou quatro anos quando, em horas paradas da tarde, uma mulher aflita atravessou as ruas da vila e o nosso quintal para dar a notícia que o meu pai tinha tido um acidente, uma máquina tinha-lhe arrancado a mão direita. A minha mãe não conseguia respirar. A mensageira era capaz de traçar com o dedo a linha na zona do pulso onde a lâmina lhe tinha acertado.

As máquinas da carpintaria do meu pai eram feitas do mesmo sonho que o levou a tentar terminar por correspondência um curso de desenho técnico. Essa força fazia parte da sua natureza e, quando se mostrava, era como um balão. Levantava um voo ligeiro, tranquilo, como se planasse sobre os campos. Eram imensas as paisagens que víamos através dos olhos do meu pai a sonhar, eram sem fim os horizontes que a sua vontade erguia. À hora de jantar, a minha mãe receava a realidade e tentava abrandar-lhe o optimismo, mas nunca conseguia completamente. O meu pai sonhava há muitos anos. Como prova, havia o livro que guardava desde rapaz em que se ensinava a fazer sabão e havia a história muito repetida da invenção que idealizara com o irmão mais velho: fazer gasolina a partir de cascas de laranja.

No pátio da carpintaria do meu pai, havia o barulho de máquinas. Havia a serra alta que atravessava troncos presos a um pequeno vagão que deslizava sobre carris. Havia motosserras com correntes de lâminas que, em certas ocasiões, se rebentavam e saltavam desgovernadas. No interior da carpintaria, havia mais máquinas. A rotação das suas lâminas hipnotizava. Eram máquinas que, ao atravessarem ripas, gritavam sons nasais. Lançavam jorros de maravalhas e um nevoeiro de serradura que enchia toda a carpintaria, que se respirava. Foi numa dessas máquinas que o meu pai teve o acidente.

Nessa tarde, a minha mãe esteve mais de duas horas submersa em angústia, a imaginar imagens de sangue, até ligarem do hospital para o telefone da vizinha e se saber que não tinha sido assim. O meu pai tinha tido um acidente com uma máquina, tinha sido grave, mas não tinha perdido a mão e havia esperança de que pudesse voltar a usá-la.

Afinal, a lâmina não lhe tinha cortado o pulso, mas sim a palma da mão e a cabeça de alguns dedos. Depois de tirar as ligaduras, a mão foi cicatrizando. Havia um aparelho feito de alumínio e molas, com partes em cabedal para prender o antebraço e os dedos. Esse aparelho servia para recuperar um pouco da forma da mão. Forçava os tendões, era doloroso. Anos depois, quando eu o encontrava abandonado dentro de algum armário, brincava com ele. Parecia a mão de um robot.

O meu pai e os homens que trabalhavam com ele na carpintaria aleijavam as mãos a cada passo. Nenhum se queixava demasiado quando entalava os dedos entre chapas de madeira ou quando lhes acertava com uma martelada e ficava com as unhas negras, sangue pisado. Era incontável o número de lascas de madeiras que se espetavam nas suas mãos ou a quantidade de vezes que os formões ou os serrotes deslizavam e lhes faziam cortes até ao osso. Se não bastasse soprar ou enrolar a mão num lenço de assoar, havia um armário branco, coberto de pó, entre calendários de mulheres nuas, 1979, 1985, 1982, onde havia álcool e, às vezes, algodão.

Numa ocasião em que estavam a descarregar pinheiros no pátio, houve um tronco que esmagou o mão de um homem. A aliança de casado cortou-lhe o dedo. Foi o meu pai que o recolheu num frasco e que conduziu o homem até ao hospital. Contava sempre essa história como justificação para não usar aliança.

O meu pai conseguia segurar em tudo, fazer tudo, mas o corte enrolou-lhe a mão direita, encaracolou-lhe os dedos e nunca conseguia abri-la completamente. As unhas cresciam à volta da cabeça dos dedos mindinho, anelar e médio, que eram menores do que o seu tamanho natural. Era essa mão, de pele grossa e áspera, que o meu pai usava para fazer acções melindrosas, pentear as sobrancelhas, contar moedas. Era essa mão que usava para fazer festas no rosto terno das netas. Era essa mão que me dava quando íamos à cidade, passeávamos juntos e acreditávamos que o tempo não tinha fim.


José Luís Peixoto, in Abraço (Quetzal, Outubro 2011)

________________///



Betty Branco Martins_____________boas leituras

"Milagres na vida de um Medico"



Milagres na Vida de um Medico

da "LivroDoDia"





Carlos Pina - Milagres na Vida de Um Médico from Livraria Livrododia on Vimeo.

Sinopse

Carlos Pina, a propósito de um acontecimento de profunda espiritualidade que o impressionou intensamente, faz uma viagem atravessando toda a sua vida, partindo das memórias da infância até aos nossos dias, relatando desde os acontecimentos mais banais até a alguns episódios marcantes da sua vida, sempre tentando ir para além da realidade objectiva e das coincidências. 
O seu trabalho enquanto médico cruza-se assim com a sua espiritualidade e com a sua relação com Deus, reflectindo e questionando sobre a influência desta dimensão espiritual nas nossas vidas, na vida de um médico e na vida de um cidadão.

___________________boas leituras
Betty Branco Martins

O Jogo do Acaso




Sinopse

Uma fracção de segundo foi quanto bastou para que o caos se instalasse na congestionada auto-estrada que liga Londres ao País de Gales.

Um acidente de viação de grandes proporções gera o pânico, substitui a confiança pelo medo e a impotência toma conta dos presentes.

Jonathan, um obstetra carismático e bem-sucedido; Toby, o noivo com um segredo obscuro a caminho do seu casamento, e o seu leal amigo Barney; Georgia, uma jovem aspirante a actriz, desesperada por chegar a Londres para uma audição importante que poderá lançar a sua carreira; Mary, a viúva que percorre centenas de quilómetros para reencontrar o seu primeiro amor, que não vê há mais de 50 anos; William, o agricultor que presencia o drama que se desenrola no outro lado da encosta; e Emma, a atraente médica do hospital da zona que presta assistência aos sinistrados.
De um momento para o outro, ver-se-ão enredados num poderosíssimo jogo de acção-consequência, cujos efeitos mudarão as suas vidas irremediavelmente.

Mas será para melhor ou para pior?
Poderá alguém resistir à inevitabilidade do Acaso?


_____________________///





.boas leituras para todos




._______________________________betty branco martins


Marc Bekoff



Manifesto dos Animais
Marc Bekoff




Sinopse: Um apelo a um outro olhar, com o objectivo de mudar as vidas dos animais e dos humanos para melhor. Se os animais podem pensar e sentir, o que pensarão e sentirão...








._______boas leituras










Betty Martins

"TEMAS ORIGINAIS"_________eventos de Maio

.
.
.
.
.
.

///

Informação da: Temas Originais

Os nossos eventos têm Entrada Livre!
Se puder, apareça!
Se puder, divulgue, s.f.f.

Saiba mais em:

http://www.temas-originais.pt/
Muito Obrigado
Temas Originais


Torre Arnado
Rua João de Ruão, 12 – 1.º, Escrit. 19
3000-229 Coimbra | Telef: 239 100 670

EVENTOS DA "TEMAS ORIGINAIS"

Em Lisboa: 17 de Abril, pelas 15:00


Apresentação do livro de Poesia de Hugo Costeira
O autor, Hugo Costeira, e a Temas Originais têm o prazer de o convidar a estar presente na sessão de apresentação do livro “Manual da Ilusão” a ter lugar no Auditório do Campo Grande, 56, em Lisboa, no próximo dia 17 de Abril, pelas 15:00.

Obra e autor serão apresentados por Maria Anadon.
Manual da Ilusão
(Poesia)


Sinopse: "uma compilação de vários textos de ensaio e prosa poética sobre variados temas, desde a felicidade à desilusão, passando pelo amor e pela solidão, caminhando pela vida e pelos vários momentos que vão marcando um percurso ainda não acabado" (da Introdução)
.
.
.



No Porto: 17 de Abril, pelas 16:00

Lançamento do livro de Poesia “Cardio.grafia” de Vera L. T. Santos
A autora, Vera L. T. Santos, e a Temas Originais têm o prazer de o convidar a estar presente na sessão de lançamento do livro “Cardio.grafia” a ter lugar no Ateneu Comercial do Porto, sito na Rua Passos Manuel, 44, Porto, no próximo dia 17 de Abril, pelas 16:00.

Obra e autor serão apresentados pelo poeta Hugo Milhanas Machado.
Cardio.grafia
(Poesia)

Sinopse: "um livro de paixão por um tu, a que o corpo (tópico que aparece constantemente, como tal ou metonimicamente, através das mãos, da boca, do rosto, dos seios, do peito, dos olhos, do ventre, etc.) se entrega totalmente." (do prefácio, Vítor Oliveira Jorge)

Sobre a Autora: Vera L. T. Santos
Vera L. T. Santos (n. 20 de Abril 1982, Porto). Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas (variante de Estudos Portugueses – Ingleses) pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto, tendo a par desta uma Especialização em Gestão e Organização da Formação realizada na Universidade Católica do Porto. Participou, na qualidade de colaboradora eventual, nas revistas Callema, Minguante e na folha de poesia Músculo. Reside, actualmente, na Irlanda.
.
.
.


Em Lisboa: 17 de Abril, pelas 19:00

Lançamento do Romance “O Último Beijo” de Manuela Fonseca
A autora, Manuela Fonseca, e a Temas Originais têm o prazer de o convidar a estar presente na sessão de lançamento do livro “O Último Beijo” a ter lugar no Auditório do Campo Grande, 56, em Lisboa, no próximo dia 17 de Abril, pelas 19:00.
Obra e autora serão apresentados pelo escritor Paulo Afonso Ramos.
O Último Beijo
(Romance)

Sinopse: Entre os registos poético e epistolográfico, uma história que nos cativa e que tem como centro o valor da amizade.

Sobre a Autora: Manuela Fonseca
Maria Manuela Félix da Fonseca dos Santos Amaral nasceu a 6 de Março de 1956, em Moscavide. Andou na escola até à frequência do 9º ano, que nunca chegou a terminar, pelas vicissitudes da vida. Começou a despontar para a escrita na adolescência. Mais tarde, em 1986, redigiu o seu 1º poema: "O Meu Alento". Paralelamente, escreveu Histórias Infantis e alguns Textos Humorísticos. De 1988 a 1990, muitos dos seus trabalhos (poesia, prosa e outros textos) foram publicados nos jornais "Correio da Manhã" e "Diário de Notícias".
Em 1991, num concurso realizado pela Rádio Comercial, num programa da Filomena Crespo, ganhou o 1º prémio com o texto "2012 – Ano do Tédio ". Foi animadora de uma rádio local, decorria o ano 1992, em dois programas: um de informação e outro virado para a poesia e música portuguesa. Fez um curso livre de Literatura Portuguesa, durante três meses, no ano 1993. Participou em Jogos Florais “Literatura Oral e Conto”, integrados no programa Leitura & Cultura da Fundação Calouste Gulbenkian, onde obteve um diploma de participação.
Em Novembro de 2006, realizou um evento cultural de Música, Poesia e Dança, ao qual deu o nome - “No Limiar das Palavras” – uma das suas poesias. Em 13 de Junho de 2007, teve conhecimento do site “Luso Poemas” pela mão da amiga e poetisa Conceição Bernardino.

Actualmente, escreve no seu blogue: http://ensaios-poéticos.blogspot.com. E em Setembro de 2007, publicou o seu primeiro e único livro de poesia: “No Limiar das Palavras”.

“Brinco com as letras, nos momentos em que saio de mim, e, volto um pouco mais tarde, para te mostrar onde fui. Depois, sento-me na poltrona do Tempo e, cheia de paciência, ponho-me a olhar... “
.
.
.

Informação da: Temas Originais

Os nossos eventos têm Entrada Livre!
Se puder, apareça!
Se puder, divulgue, s.f.f.

Saiba mais em:

http://www.temas-originais.pt/
Muito Obrigado
Temas Originais


Torre Arnado
Rua João de Ruão, 12 – 1.º, Escrit. 19
3000-229 Coimbra | Telef: 239 100 670
"Sonhos Submersos"

de António Pinto Correia





«Via-se ante um mar imenso e azul, sepultando fés, sacrificando homens, interpondo distâncias. “Sonhos Submersos” e não saberia por que lhe ocorrera semelhante frase.»



António Pinto Correia descreve como se fosse ficção a densa especificidade da experiência pessoal de uma mulher que conheceu a paixão e o desamor, acompanhando-a na dormência e nos despertares do sonho. Baseado numa história verídica, “Sonhos Submersos” é um romance invadido pelo oceano de memórias de Soledade, emigrante portuguesa na Venezuela que retorna ao seu país de origem e a uma vida de pobreza e solidão, pela mão do único homem que amou. A narrativa privilegia o espaço interior, a mente da protagonista, que se desdobra em visões. O sonho, a desolação, a busca de ânimo, a exaustão, a suspensão do tempo, a sensação intensa de fim, a sobrevivência e a morte, são-nos oferecidos através da expressão intensa da emoção de quem tem fé em Deus mas conclui que os homens são bichos da terra. Deus escreve direito por linhas tortas ou Deus algum cometeria esse pecado? Soledade poderia ser um personagem do absurdo camusiano.



Em “Sonhos Submersos”, a vida interior é transformada em linguagem interior, tautológica, dominada pela nostalgia e pela contenção da angústia. Escutamos o silêncio que emerge, em paralelo, da coreografia e da geografia dos corpos. Em cada frase-gesto, encontramos as marcas de uma vida de submissão, impotência e isolamento. A. Pinto Correia resgata Soledade ao seu silêncio através deste exercício de escrita. E convida-nos a escutá-la, a fazer justiça pelo acto de leitura.





MRF
Setembro 2009





Acrescente-se, que o livro terá distribuição no Brasil mercê do trabalho meritório da EDITORA em prol dos autores por si publicados, resultando em última análise, na divulgação do que por cá se vai fazendo de novo, com nova gente.
.
.
.
.___________________boas leituras para todos


Mar de Sonhos           .de____________________Luís Ferreira "Momentos"




O autor, Luís Ferreira, e a Temas Originais têm o prazer de o convidar a estar presente na sessão de apresentação do livro “Momentos...”, a ter lugar no Ateneu Comercial do Porto, sito na Rua Passos Manuel, 44, Porto, no próximo dia 21 de Novembro, pelas 16:00.



.___________meu querido amigo Luís Ferreira. desejo as maiores felicidades e êxito

beijO__________Betty

FLOR DE INFESTA

._______a exposição da minha amiga tulipa


Foi "AQUI" que estive todo o dia de sábado passado - 19 de Setembro, desde as 9h 30m da manhã até às 21h, com um pequeno intervalo para almoçar (depois retomámos os trabalhos) e ausentei-me para tomar banho e mudar de roupa.
Não sei como poderei agradecer à "pessoa" que esteve comigo incansavelmente a montar a Exposição, são actos que não podem ser pagos de forma justa, não há dinheiro que pague. Foi um dia muito cansativo, mas ao mesmo tempo muito feliz e proveitoso, jamais esquecerei. Eu já tinha montado 2 exposições que demoraram no máximo 2 horas, desta vez foram 6 horas de trabalho, mas ficou bonito e as palavras de quem visitou encheram-me de alegria, a mim e à pessoa que esteve comigo todo o dia. Pude agradecer-lhe "ali" publicamente, quando o Sr. Presidente do "Flor de Infesta" pediu-me umas palavrinhas para fazer o brinde.


O convite, que fiz a dezenas de pessoas, bloggers na sua maioria, para a exposição, não era apenas para o dia da inauguração, mas sim para todo o tempo em que está aberta ao público - ou seja, até dia 2 de Outubro - 6ª feira.
O tempo voa!
Sei bem as distâncias entre dois pontos no Mundo, seja de norte a sul ou do oeste para este, mas...isso não é desculpa..quando se quer e se gosta as distâncias tornam-se pequenas.
Acredito que os tempos estão complicados, mas garanto-vos que é uma excelente oportunidade para ver algo diferente: outra cultura, outro povo, imagens de quem esteve lá no terreno.
Agradeço a todos "os votos de sucesso", não é isso que me interessa neste momento, mas sim "PARTILHAR" com quem possivelmente nunca irá fazer essa viagem. Já existem mais 2 convites para expôr, mas no Norte não, (quero dizer - longe de casa) pois só eu e Deus sabemos o quão desgastante foi...e, se as pessoas não aderem, não se justifica todo o meu esforço.


Recebi esta mensagem de um "Amigo" da Blogosfera: ..."Nesse momento tinha acabado de ver a tua exposição em S. Mamede. No sábado não pude ir à inauguração, porque...Mas estive lá hoje ( até tirei umas fotos - envio-te três, como amostra) e tive oportunidade de ver, com calma os teus trabalhos. Gostei bastante. Deixei, aliás, umas palavras, no livro da exposição, que traduzem aquilo que senti. Ao mesmo tempo, pretendem ser um incentivo para que continues a fotografar, pois tens gosto, técnica e sensibilidade...."
É maravilhoso receber palavras tão simpáticas e de apoio, bem como incentivo. Estou receptiva a críticas construtivas para com elas poder aprender a melhorar o meu desempenho.
Termino dizendo-vos, do fundo do coração, que:
Ficarei muito feliz se lá forem, deixem umas palavrinhas no livro que está à entrada.

Publicada por tulipa

ANABELA PASSOS





mais um livro premiado da minha querida amiga. Professora e Escritora_____Anabela Passos .tem o dom mágico de ser uma contadora de histórias______de uma forma encantadora – envolvente e bela


GATO PRETO
PASSARINHOS AZUIS

Primeiro lugar no concurso literário de ficção e poesia de Almada em Janeiro de 2008
Anabela Passos
ilustrado por Rui Castro

COLECÇÃO INFANTO-JUVENIL



Mas, afinal, por que razão as Bruxas das histórias têm de ser sempre
malvadas e feias enquanto as Fadas são sempre lindas e boazinhas?
E, já agora, o que fazem uma Bruxa e uma Fada no quarto da Ana?
Ah! São as protagonistas da história que ela própria escreveu:
A bruxa Gato Preto e a Fada Passarinhos Azuis.

Mas… porque saltaram elas da história da Ana para o seu quarto?


É o que vamos ficar a saber nesta história, através das palavras de
Anabela Passos e dos desenhos de Rui Castro.



GATO PRETO E PASSARINHOS AZUIS
de
Anabela Passos
...
________________boas leituras para todos
Betty Branco Martins





[...]


NUMA PONTA DO ARCO-IRIS



.uma professora interessada desde sempre pela literatura infantil

_______entre outros textos que escreveu - o livro publicado
pelo Instituto Piaget____NUMA PONTA DO ARCO-IRIS -
foi distinguido com uma menção honrosa
no concurso do Prémio de Poesia e Ficção de Almada 2002
.

.

.

Cirila é uma menina que vive na Idade Média.
Ela perde os pais e é obrigada a ir viver com o tio,
o irmão do pai.

Cirila vê-se envolvida numa aventura, incumbida
pelo tio, que às portas da morte lhe pede para
descobrir o tesouro da família, enterrado algures
perto da casa. Numa ponta do Arco-íris.


Cirila estava cansada.
Quando ela e Vicente, um dos criados
de Dom Afonso, saíram de sua casa, o sol,
lá no alto, ainda era pequeno e amarelo.



Agora, tinha baixado, estava maior e laranja,
querendo desaparecer no horizonte.
E isso dizia-lhe que já estavam a andar
há bastante tempo.

- Dom Afonso não pôde emprestar a carroça.
Foi precisa para carregar lenha para a lareira
- dissera o criado - A égua está à espera de cria
e a mula está muito velha.

Vicente veio buscar Cirila a mando do seu senhor
quando este soube que a sua cunhada,
mãe de Cirila, tinha morrido.
Em seis meses, as suas duas irmãs, o pai
e a mãe adoeceram e morreram.
E ninguém soube explicar como e porquê...

NUMA PONTA DO ARCO-IRIS
de
ANABELA MÁXIMO DE SOUSA E SOUSA PASSOS

ASHLEY FLORES_______ TIENE 13 AÑOS






¡VAMOS A COLABORAR DE UNA PUTA VEZ! TODOS SOMOS PADRES, MADRES, HIJOS,........TENEMOS FAMILIA, QUE ES LO
MÁS IMPORTANTE DE ÉSTA MÍSERA VIDA.

AYUDADEMOS A ESTA MADRE A ENCONTRAR A SU HIJA. QUE NO PASE OTRO CASO COMO MARTA DEL CASTILLO.

HAGAMOS UNA CADENA Y LUCHEMOS PARA QUE A LOS CABRONES QUE HAN MATADO A MARTA SE LES ASIGNE LA MAYOR PENA: CADENA PERPETUA, Y NO VEAN LA LUZ DEL SOL JAMÁS.
¡PERO NO TENDREMOS ESA SUERTE!, CON LA LEY DEL MENOR ,PRONTO ESTARÁN EL LA CALLE. ES VERGONZOSO QUE ESTOS MENORES "ASESINOS" ESTÉN MÁS AMPARADOS QUE LAS VICTIMAS.

ENTRE LOS ASESINOS DE MARTA SE ENCUENTRA UN MENOR DE 15 AÑOS, AL QUE INTENTAR OCULTAR SU NOMBRE "POR SALVAGUARDAR LA INTIMIDAD" CUANDO EL HIJO DE PUTA ES UN CRIMINAL, ASESINO.
ESE MENOR AL QUE APODAN "EL CUCO" SE LLAMA FRANCISCO JAVIER GARCÍA MARÍN, Y SE ENCUENTRA EN EL CENTRO DE MENORES "LAS LAGUNILLAS" DE JAÉN, CENTRO DIRIGIDO POR LA FUNDACIÓN DIAGRAMA.

NO PAREIS ESTE MENSAJE. ENVIADLO A TODOS LOS CONTACTOS QUE TENGAIS EN LA LISTA. TODOS SOMOS MARTA.

NUNCA SE SABE................ POR FAVOR, MIRA LA FOTO, LEE EL MENSAJE DE UNA MADRE DESESPERADA Y PASALO A TODO EL MUNDO.






"Mi hija tiene 13 años, Ashley Flores, está desaparecida desde hace dos semanas. Puede ocurrir que si todos pasan este mensaje, alguna persona la reconocerá. Se han encontrado personas con este método. Internet circula por todo el mundo... Por favor, pasa este mensaje a todos tus contactos. Gracias a todos ustedes podré encontrar a mi niña.

Les pido a todos, les suplico a todos, por favor pasa esta imagen a todas las personas posibles.Todavía no es tarde POR FAVOR, AYÚDAME. Si tienes información, contacta con: HelpfindAshleyFlores@yahoo.com Solo hacen falta 2 minutos para hacer circular el mensaje. Si se tratase de tu hijo(a) harías lo imposible por obtener ayuda".
.
.
.
Betty Branco Martins

BRIAN KEANEY



"As Promessas de Dr. Sigmundus"



Na ilha de Tannagar existe um asilo onde poderás ser enclausurado por sonhar. Dante é um moço-de-cozinha que leva as refeições aos pacientes.


Bea é a privilegiada filha de um casal de médicos. Quando um novo e perigoso paciente chega ao asilo – os seus mundos irão cruzar-se____...


Quem é Ezekiel Semiramis?
O que é que ele sabe sobre a mãe de Dante e sobre a cidade em ruínas com a qual Bea sonha permanentemente?

Dante e Bea lançam-se na descoberta da verdade e acabam por ser confrontados com um mal terrível.



Entra num mundo de sonhos proibidos com o primeiro volume da apaixonante série______"As Promessas de Dr. Sigmundus"

...

_______para todos. boas leituras



Betty Branco Martins

Luísa Basto

Texto de Teresa David____do FANTASIAS


foto de Luísa Basto

URSULA

De pequenina depressa o seu corpo franzino percebeu que a vida não seria fácil.
Seus Pais, fortemente envolvidos na luta contra o regime de Salazar, enviaram-na, por portas travessas, para a União Soviética, onde ficou a estudar e fez o Curso Superior de Canto.

É um rouxinol que o seu padrinho, Álvaro Cunhal, adorava ouvir.

Eu também.

Conheci-a, após o seu regresso em Maio de 74 a Portugal, após muitos anos de União Soviética e algum tempo em Paris, num Restaurante que explorava com o seu companheiro, sito no Pragal de nome “O Forno de Cima”. Aí falava com ela sobre as agruras da maternidade e vida doméstica, porque a Úrsula, conhecida como Luísa Basto, pseudónimo que adoptou, desdobrava-se na limpeza do restaurante, da sua casa, acudir aos 5 filhos, uns dela em comum com o companheiro e um só dele, outro só dela e do José Jorge Letria, aos cozinhados, que praticamente fazia só.

Por volta da meia-noite desaparecia, tirava o avental de cozinha, pintava-se, penteava os fartos cabelos e, reaparecia, geralmente vestida de negro, como borboleta saída dum casulo.
Mal a sua voz se lançava no ar um arrepio na espinha me percorria, bem como a todos que a escutavam. Nunca na vida até hoje, ouvi, uma voz tão límpida e potente como a dela.

Contudo, parece que nunca levou muito a sério o seu talento, porque, salvo os convites muito esporádicos para programas alusivos ao 25 de Abril, ferrete que se lhe colou á pele pelo facto de ter dado voz ao Hino do “Avante”, onde a sua sonoridade é bem notória, alguns CD gravados sem grande divulgação e o LaFéria se ter lembrado dela para fazer de Amália no Musical depois da saída da Alexandra, resume-se á sua vida doméstica.

Tentei amiúde, infrutiferamente, ver mais além da concha onde se fechava, numa cara de tragédia não contada.

Uma das últimas vezes que a vi e trocámos um mero aceno, foi no dia do velório do Álvaro Cunhal, onde estava numa fila gigantesca, incógnita como sempre, apesar de ser quase como uma filha para o falecido, que vinha ao barbeiro ao Pragal e lhe pedia para lhe comprar a roupa, porque além de não ligar nenhuma ao que vestia, não tinha o mínimo jeito para o fazer.

Tenho o seu número de telefone e ela várias vezes me disse para aparecer, no entanto, a sua forma de ser tão fechada fez com que nunca tenha telefonado, malgrado a admiração que por ela tenho.

Por vezes tento saber por onde anda a cantar, mas ninguém sabe, pelo que apenas a apanhei, por mero acaso, há dois anos, após uma ida ao teatro, onde o Mestre Relojoeiro, sobre o qual escrevi algum tempo atrás me disse, que ela estaria a cantar fado numa cooperativa na Cova da Piedade, gratuitamente, naquela noite, na sua militância constante.

Se quiserem ler uma biografia que acho bem feita acerca da sua pessoa, onde, por coincidência tem uma foto exactamente da altur em que a conheci, podem ler aqui:

http://www.macua.org/biografias/luisabasto.html


Teresa David

OS LIVROS DOS AMIGOS

.__________________JORGE VIEIRA CARDOSO




A empatia imediata e o reconhecimento do valor deste homem enquanto poeta e escritor levou à publicação deste seu primeiro trabalho de grande fôlego, onde estão bem ostentados os seus volteios emotivos com a vida, o amor e as razões que marcam cada pedaço de segundo do seu sentir.



"Carimbo"

A tinta com que pinto as minhas palavras é o antídoto

que reverte a minha agonia e me cura.

As minhas fugas vão sempre para o labirinto das almas onde

escrevo, onde colecciono os meus medos, os meus anseios

e os meus sorrisos.

A minha vontade de escrever é tanta que faço do papel

o aconchego que me aquece e me manta.

Não tenho assinatura nem carimbo, tenho apenas a vontade de

conhecer as palavras e fazer delas a minha verdade.

http://omeucarimbo.blogspot.com/

_____________________///







.______________CARLA RIBEIRO

Frequenta o quarto ano de Medicina Veterinária na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e tem vários trabalhos completos. Tanto em prosa como em poesia. O “Canto da Eternidade” é já o terceiro livro publicado.


"Fogo da Vida"

Em chamas se consome a minha vida,
Enquanto lembro o tempo que vivi.
Ainda choro os sonhos que perdi,
A minha infelicidade perdida.

Fui feita nada, perdida e vencida,
Afastada da luz que não esqueci.
Não encontrei amor quando o pedi.
Fiquei sozinha, ferida e caída.

Fui levada aos infernos, condenada,
Sem recordar nenhum momento meu,
Em que, algum dia, fosse mais que nada!

Nas chamas do meu tempo que acabou,
Seja lembrado o sonho que fui eu
E o nada sem sentido que hoje sou!

http://valedassombras.blogspot.com/

...
._______boas leituras_________para todos

Betty Branco Martins

Martina Cole


"POR PERTO"




Mantenha os amigos perto e os inimigos mais perto ainda; mas mais perto de tudo deverá estar a família. Patrick Brodie está em plena ascensão. Gosta de arriscar mas, ao contrário do pai alcoólico, quer ter a certeza de que mantém por perto o que é seu. Também sabe exactamente até onde está disposto a ir para conseguir o que quer. E ele quer tudo. Já. Em breve, iria arrumar com a velha guarda e tornar-se uma lenda viva. Violentamente.

Ele e Lily estão determinados a que os filhos tenham tudo o que eles não tiveram, dê por onde der. Porém, o impensável acontece e Lily fica sozinha, com a família para cuidar, num mundo perigoso. Um mundo onde não se pode confiar em ninguém.

Para sobreviver, os Brodie têm de se manter unidos. Mas os pecados acabam sempre por vir ao de cima.


...

._____óptimas leituras para_______________todos

Betty Branco Martins

Translated page look for your flag in the last text of the end of the page

Véronique Olmi



._________um excelente livro de ficcão contemporânea





______Beira-mar________...





Ela vive só com os seus dois filhos e, pela primeira vez, leva-os de férias.

Esta saída deveria ser uma festa, tenta dizê-lo. Juntos vão tomar a camioneta. De noite, à chuva, fazer a viagem. Mas as crianças estão inquietas: partir em plena época de aulas, partir a meio da semana, partir no Inverno para a praia, perturba-os.

E calarem-se, estarem calados, sobretudo não darem nas vistas, levarem todas as coisas para terem confiança, só para estarem confiantes, para não terem medo durante a noite.



Porque este peque romance é um grito, incómodo, terrífico como uma vaga de mar inesperado, um espelho…

...

boas leituras______________para todos

Betty Branco Martins

Ensaio sobre a Cegueira


José Saramago


Um homem fica cego, inexplicavelmente, quando se encontra no seu carro no meio do trânsito. A cegueira alastra como "um rastilho de pólvora". Uma cegueira colectiva. Romance contundente. Saramago a ver mais longe



O romance aborda a emergência de uma inédita praga de uma repentina cegueira abatendo uma cidade não identificada, inexplicável e incurável. Tal "cegueira branca" — assim nomeada pois as pessoas infectadas percebem em seus olhos nada mais que uma superfície leitosa — manifesta-se primeiramente em um homem sentado no trânsito e, lentamente, se espalha pelo país. Aos poucos, todos acabam cegos e reduzidos, pela obscuridade, a meros seres lutando por seus instintos. À medida que os afectados pela epidemia são colocados em quarentena, em condições desumanas, e os serviços estatais começam a falhar, a trama segue a mulher de um médico, a única pessoa que não é afectada pela doença que cega todos os outros.

O romance nos mostra o desmoronar completo da sociedade que, por causa da cegueira, perde tudo aquilo que considera como civilização e, (tal como em A Peste, de Albert Camus) mais que comentar as facetas básicas da natureza humana à medida que elas emergem numa crise de epidemia, Ensaio sobre a cegueira mostra a profunda humanidade dos que são obrigados a confiar uns nos outros quando os seus sentidos físicos os deixam. O brilho branco da cegueira ilumina as percepções das personagens principais, e a história torna-se não só um registo da sobrevivência física das multidões cegas, mas também das suas vidas espirituais e da dignidade que tentam manter. Mais do que olhar, importa reparar no outro. Só dessa forma o homem se humaniza novamente.

._____e deste livro um filme inquietante_____acontece

Ensaio sobre a Cegueira

Título Original: Blindness
Direção: Fernando Meirelles
Roteiro: Don Mckellar, adaptado do romance de José Saramago
Elenco: Julianne Moore - Mark Ruffalo - Gael García Bernal - Alice Braga - Danny Glover

site do filme:
cliquem AQUI: http://www.ensaiosobreacegueirafilme.com.br/


._______vejam este filme


Betty Branco Martins

Serguei Lukiánenko

Os Guardiães da Noite
Serguei Lukiánenko


Na Moscovo pós-soviética, uma raça de Seres Diferentes vive, lado a lado com os humanos, aparentemente indistinguíveis destes. Na realidade detêm poderes sobrenaturais e têm acesso a uma misteriosa dimensão paralela, a Penumbra. À noite, as Forças da Luz, das quais faz parte o jovem agente Anton, patrulham as ruas e o Metro, e protegem os humanos. Mas a sua tarefa principal é zelar para que as Forças do Mal não se tornem uma ameaça apocalíptica. O combate reacende-se numa corrida contra o tempo. O leitor é subjugado pelo sortilégio desta escrita brilhante e imaginativa, que flui num esplendoroso ambiente de thriller neogótico. Publicado em 1988, este livro, que já vendeu 3 milhões de exemplares só na Rússia, está traduzido em 15 idiomas e deu origem ao primeiro blockbuster russo. É o primeiro volume de uma trilogia.




Os Guardiães do Dia
Serguei Lukiánenko , Vladímir Vassíliev

Este é o segundo volume da trilogia iniciada com Os Guardiães da Noite, um êxito a que se associou o da sua passagem ao ecrã. Na sequência do volume anterior, a acção decorre na Rússia dos nossos dias, num cenário de vívido realismo, onde os humanos se cruzam com os Seres Diferentes nos mesmos circuitos, excepto na dimensão da Penumbra onde só estes conseguem aceder graças aos seus poderes mágicos. O ritmo, a acção e o humor mantêm-se sem quebra, enquanto o equilíbrio é desta vez rompido pela paixão entre a sofisticada bruxa, Alissa, e Ígor, um ser da Luz, o que os obriga a um duelo que nenhum deseja vencer... O enredo inclui ainda uma ameaça mais terrível, decorrente do roubo de um artefacto mágico de potência descomunal, a Garra de Fafnir, cuja proveniência se relaciona com o lendário Anel dos Niebelungos. Os Guardiães do Dia também já deu origem à sequela cinematográfica desta trilogia celebrada a nível mundial.






Os Guardiães do Crepúsculo
Serguei Lukiánenko




No terceiro livro desta série de culto russa, passaram três anos depois dos acontecimentos relatados em Os Guardiães do Dia. Anton, Guardião da Noite, regressa sozinho a Moscovo para passar calmamente o último dia férias, quando recebe um telefonema do chefe, Guesser. Uma carta anónima denunciara que um Ser Diferente revelou a um humano a existência da sua espécie e se prepara para pôr em prática o até aí impensável acto de transformar um humano num Ser Diferente, o que ameaça todos os reinos da Penumbra. Agora Anton tem pela frente um delicado trabalho de detective, para investigar todos os possíveis suspeitos, humanos ou não.





________esta­­­__trilogia é___________ imperdível!!!


.________boas leituras


Betty Branco Martins

Haruki Murakami

A RAPARIGA QUE INVENTOU UM SONHO


Há corvos animados, macacos criminosos, um homem de gelo… Há sonhos que nos moldam e coisas que sempre sonhámos ter… Há reuniões em Itália, um exílio romântico na Grécia, umas férias no Havai… Há personagens que se confrontam com perdas dolorosas, outras que se deparam com distâncias inultrapassáveis entre os que querem estar o mais próximo possível.

Quase todas as histórias são melancólicas, com personagens submersas pela solidão. Murakami junta os seus temas favoritos: os acontecimentos inexplicáveis (o tal toque de fantástico que provoca por vezes a sua inclusão na corrente do realismo fantástico), as coincidências, o jazz, os pássaros e os gatos.

Tal como foi escrito no Los Angeles Times Book Reviey, “Murakami abraça o fantástico e o real, cada um com a mesma envolvência de intensidade e luminosidade.”


Boas leituras_______________para todos

Betty Branco Martins



http://www.ipetitions.com/petition/manifestolinguaportuguesa/
MANIFESTO EM DEFESA DA LINGUA PORTUGUESA)
_____CLICA E ASSINA A_______PETIÇÃO

Translated page
look for your flag in the last text of the end of the page


Richard Dawkins


Translated page look for your flag in the last text of the end of the page


A Desilusão de Deus
de Richard Dawkins




Deus não existe e as religiões são perniciosas e causadoras da maior parte dos males do mundo?

Provar que a resposta só pode ser afirmativa é o objectivo desta obra, que ocupou o top de vendas na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos.
Orgulhosamente ateu, o autor pensa que a maioria dos cientistas também o foram e são, dando o ateísmo um contributo fundamental para uma sociedade mais feliz, porque livre. Os argumentos filosófico-religiosos a favor da existência de Deus são de extrema debilidade.

Darwinista convicto, vê na selecção natural a chave de explicação da evolução, acabando com a ilusão de um Deus pessoal criador e de um desígnio inteligente.

Obra retumbantemente polémica, acusada de superficialidade unilateral e fundamentalismo cientificista, tem a pretensão de tornar ateus todos os seus leitores religiosos. Optimismo presumido e ingénuo, obrigará, de qualquer modo, os crentes a mais lucidez.


boas Leituras_______para todos


Betty Branco Martins


__________meus queridos amigos vou de FÉRIAS!!!_________volto no final de Abril. obrigada pelo vosso carinho.visitas.e.leitura._______estarei aI______nos vossos "espaços" assim que voltar:)

DESEJO PARA TODOS UMA SANTA PÁSCOA_____________

Kafka à Beira-Mar


________________________Translated page look for your flag in the last text of the end of the page




.QUERIDOS AMIGOS

____________ESTOU A MUDAR DE OPERADOR. E O MEU E ENDEREÇO MAIL PASSA A SER ESTE_________

martins.betty@sapo.pt

___________NÃO SEI QUANDO TEREI_____NET___________ESTOU EM GUERRA COM A________SAPO!!! OU SEJA_________IMPOSSIBILITADA DE TRABALHAR______ ASSIM QUE ME FOR POSSÍVEL________PUBLICAREI E CLARO ESTÁ_____________QUE OS IREI VISITAR A TODOS

_______________OBRIGADA PELAS VOSSAS VISITAS E COMENTÁRIOS

beijO c/ carinhO

___________________________________Betty




____________________///

///._________________________


Neste romance os gatos conversam com pessoas, do céu cai peixe, um chulo faz-se acompanhar de uma prostituta que cita Hegel e uma floresta abriga soldados que não sabem o que é envelhecer desde os dias da Segunda Guerra Mundial. Assiste-se, ainda, a uma morte brutal, só que tanto a identidade da vítima como a do assassino permanecerão um mistério.



“ Sou livre. Fecho os olhos e penso com toda a minha força na minha nova condição, ainda que não esteja bem certo do que significa. Tudo o que sei é que estou completamente sozinho. Desterrado numa terra desconhecida, como explorador solitário sem bússola nem mapa. Será isto liberdade? Não sei, confesso, e às vezes desisto de pensar.”

(Haruki Murakami)

...



._______boas leituras para todos


Betty Branco Martins



_____VOU DE FÉRIAS:))

____meus queridos amigos. desejo para todos_______ UM FELIZ NATAL_____e um________ANO NOVO______mesmo NOVO!!!:)_______com muita PAZ.AMOR.SAÚDE______alguma loucura_____só faz é bem. já agora _____alguns______EUROS_______que a "malta" não é de ferro:)

_________voltarei no final de Janeiro. e é claro que os visitarei a TODOS. fiquem bem

beijO c/ muitO carinhO


JUSTIÇA PARA FLÁVIA

JUSTIÇA PARA FLAVIA, POR FAVOR!


FLAVIA ESTÁ EM COMA HÁ QUASE 10 ANOS.

A JUSTIÇA BRASILEIRA ESTÁ HÁ MUITO MAIS TEMPO
.06.01.1998 - FLAVIA SOUZA BELO, então com 10 anos, sofre grave acidente quando teve seus cabelos sugados pelo ralo da piscina do condomínio onde morava com a mãe e o irmão de 14 anos, no bairro de Moema, São Paulo. – Brasil. Flavia teve parada cardio-respiratória e desde então está em coma vigil, estado que segundo os médicos, é irreversível.Odele Souza, a mãe, processou o condomínio Jardim da Juriti, a Jacuzzi do Brasil, fabricante do ralo e a AGF Seguro, seguradora do condomínio. O condomínio, porque trocou o equipamento sem orientação técnica, colocando no lugar do anterior, um equipamento de sucção SUPERDIMENSIONADO em 78%. A Jacuzzi, fabricante do ralo, porque não orientou em seus manuais, sobre os riscos da instalação de um equipamento em desproporção com o tamanho da piscina, e a AGF Brasil Seguros, porque não pagou quando solicitada, o seguro existente no condomínio, vindo a fazê-lo apenas um ano e onze meses depois, sem juros e correção monetária.Ao longo desses quase nove anos que tramita na justiça paulista, o processo de Flavia teve dois julgamentos. Em ambos, foi concedida indenização que Odele considerou muito pequena, tendo em vista a gravidade do acidente ocorrido com Flavia. Odele recorreu das duas sentenças, mas mesmo tendo sido anexados aos autos, laudos periciais realizados por peritos designados pela justiça, onde foi constatado o SUPERDIMENSIONAMENTO do equipamento de sucção da piscina cujo ralo sugou os cabelos de Flavia, e mesmo continuando ela a viver em coma vigil já por quase dez anos, até hoje, os responsáveis pelo acidente NÃO FORAM CONDENADOS a pagar a indenização pleiteada. Odele, hoje busca divulgação para o caso, e espera com isso, chamar a atenção para o desrespeito aos direitos humanos de sua filha. Espera também a CONDENAÇÃO EXEMPLAR dos responsáveis pelo acidente que deixou Flavia em coma pelo resto de seus dias. No blog FLAVIA, VIVENDO EM COMA
Odele protesta contra essa lentidão da justiça brasileira em conceder à Flavia a indenização a que tem direito e alerta sobre o perigo existente nos ralos de piscinas,que sem legislação específica, continuam a causar acidentes fatais ou gravíssimos em todo o mundo, conforme vem sendo documentado no blog de Flavia. A maioria das vítimas são crianças.São Paulo, 13 de setembro de 2007 Odele Souzae-mail: odele@terra.com.brblog: http://www.flaviavivendoemcoma.blogspot.com/

Translated page look for your flag in the last text of the end of the page

Philippe Claudel


A Neta Do Senhor Linh


Numa fria manhã de Novembro, depois de uma penosa viagem de barco, um ancião desembarca num país que não é o seu, onde não conhece ninguém e cuja língua ignora.

O Senhor Linh foge de uma guerra que lhe roubou a família e a aldeia onde sempre viveu, para o deixar rodeado de morte e devastação. A guerra acabou com tudo, excepto com a sua neta, uma menina tranquila que adormece serenamente sempre que o avô lhe canta uma melodia que as mulheres da sua família transmitiram de geração em geração. Instalado num centro de acolhimento para refugiados, o Senhor Linh sobrevive apenas em função da neta, até ao momento em que conhece o Senhor Bark, um homem robusto e afável cuja mulher morreu recentemente. Um afecto espontâneo nasce entre estes dois solitários que falam línguas distintas mas que são capazes de se compreender entre silêncios e pequenos gestos.

Ambos se encontram regularmente num banco com vista para o parque até ao dia em que os serviços sociais levam o Senhor Linh para um local que ele não está autorizado a abandonar. O Senhor Linh consegue, contudo, escapar com a neta e penetrar na cidade desconhecida, decidido a encontrar o seu único amigo. A sua coragem e determinação vão conduzi-lo a um desenlace inesperado e profundamente comovente.

Fábula sublime sobre o exílio e a solidão, A Neta do Senhor Linh é um hino a temas universais – a amizade, a solidariedade e a compaixão –, escrito com a elegância e a limpidez dos grandes clássicos da literatura.

...


.________boas leituras

Betty Branco Martins

Livros de:

hoje trago-vos livros de três amigos que gentilmente me ofereceram. eu já os li - gostei e recomendo. naturalmente que já devem ter lido alguns dos textos ou poesia destes autores -ao visitarem os seus blogs______que aqui deixarei o link de cada um deles





Insónias e afins
De António José Pinto Correia




Deixar-me talvez, contigo.
...Sussurrar-me – [te].
O dia quase nasce.
Desejo dizer-te que estou aqui, agora.
Sei que sempre me pressentes, ou sabes. Sei.
Pergunto-me como poderias não saber?... Essa ideia é-me estranha.
Se também te sei.
O não sentar e olhar as nuvens de passagem de formatos bizarros o envolver-me em uma delas e deixar que me leve percorrendo a distância entre dois pontos que unidos traçam uma recta e nos colocam de lábios nos lábios, se eu também sei...







  • Poemetos de Maio ou A Erva e o Restolho
    De Carlos Costa

    se a anatomia das coisas te perturba
    então não acredites em nada senão em existir

    mentaliza-te que a vida desemboca no silêncio
    tens o privilégio de existir uma vez
    não podes inverter essa lógica

    desde o princípio
    (se houver algum princípio)
    as coisas começam e acabam

    somos grãos de poeira
    não deixaremos de o ser










  • Pedra Sobre Pedras
    De Joaquim Amandio Santos


    lágrima

    encantadas as minhas retinas
    com o namoro prateado
    entre a lua e o mar,
    salgado
    leito ondelante
    de um coração navegante.

    eis o barco do teu nome
    quando o sussurro
    iluminas-me sem necessidades de ciclo
    mais poderosa do que o mar
    imensa como a lua!
    parteira da salinidade
    que me tempera o palato

    então contemplo-te
    e deposito o meu corpo no casco
    enquanto docemente te embalo


  • ...

    ________boas leituras para todos

    Betty Branco Martins

    Louis de Bernières




    O Cão Vermelho


    Depois de Milu e Rantanplan, há que integrar o protagonista desta história no panteão canino. Na senda de La Fontaine, Louis de Bernières escreveu uma fábula enternecedora com um protagonista inesquecível: um cão sem morada ou destino fixos, apaixonado pela liberdade e pelos espaços amplos, um nómada louco por aventuras que não gosta de vínculos ou constrangimentos. De facto, O Cão Vermelho está longe de ser um cachorrinho mimado; ele é fedorento, impulsivo, independente… e tem a característica muito especial de tocar as vidas de todos os que encontra no seu caminho.



    Estava um homem a tirar salsichas do grelhador com um garfo e a baixar-se para as colocar num prato pousado numa manta ao seu lado. No prato havia uma salada de batatas novas. Quando pôs no prato três salsichas, endireitou-se para retirar
    Um hambúrguer da grelha e, quando voltou a baixar os olhos, teve de olhar outra vez. As salsichas tinham-se evaporado.

    Susteve a respiração, surpreendido, e abanou a cabeça, intrigado. Coçou a cabeça e olhou em volta. Toda a gente estava concentrada nos seus afazeres. – as minhas salsichas! – exclamou. – Alguém me gamou as salsichas! – Interpelou o homem do lado: - Eh, ó amigo, foi você que ma gamou as salsichas? É que , se foi, passe-as já para cá!

    O homem virou a cabeça por um momento. – Não fui eu, amigo. Eu tenho as minhas. Se quiser uma, dou-lha com todo o gosto.
    - Macacos me mordam – disse o primeiro homem -, ainda agora aqui estavam e num abrir e fechar de olhos, trás, desapareceram
    Jack Collins chamou por Tally, mas o cão estava a lamber os beiços para limpar os últimos vestígios deliciosos de gordura da salsicha e a planear a razia seguinte.


    Numa linguagem delicada e ligeira, Louis de Bernières pinta um retrato tocante, baseado num facto real (O Cão Vermelho existiu mesmo), cheio de personagens inesquecíveis e tendo por palco um cenário arrebatador – o da Austrália profunda.

    .______um terno romance de evasão que recomendo aos leitores de todas as idades

    ...


    ________boas leituras para todos

    Betty Branco Martins